unhas

em seu quarto
cercada pela respiração dos pais que dormem
ela aperta o ventre mas nada arde
a noite passou entre bebidas enfeitadas
o jogo de bocas tinha graça antes dos treze
sente os olhos molhados mas
a potência de drama gastou-a na personagem
a tiara preta com suas bolinhas brancas
a aparente armação exclusiva dos óculos
objetos sobre a cabeceira que fora da avó
e agora os dedos percorrem forçosos a carne
o lençol revolto já não esconde um pé
no qual faíscam unhas brilhantes como metal

Anúncios

Sobre pedrogonzaga

Músico, professor, tradutor e azarão da escrita. Ver todos os artigos de pedrogonzaga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: