o totem

ao lado da pia há uma taça de vinho
coberta por um tom apagado de roxo
esquecida e marcada na borda por ranhuras finas –
somente teus lábios sabem gerar semelhante impressão

não há mais louças na cuba e a memória da noite
já não encontra explicação para o totem opaco
erguido sabe lá a que deus senão o da secura
divindade em que não críamos
e para a qual nunca cunhamos amuletos

o som rouco da torneira antecede a queda da água
nos dedos a haste da taça possui uma incomum vibração
erguem-se como pólens do círculo em meio ao bojo
as partículas da borra antes aquietadas
e agora bailarinas de um inútil movimento em espiral

Anúncios

Sobre pedrogonzaga

Músico, professor, tradutor e azarão da escrita. Ver todos os artigos de pedrogonzaga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: