falsos começos

houve um tempo
em que a música
orgânica e viva
dentro do estúdio
alguns microfones
passava ao rolo
e depois ao disco
queridos álbuns

silenciosos na estante
a agulha se partiu
suas peles negras
já não se desnudam

tudo estaria perdido
em novos suportes
mas os falsos começos
inícios de gravações
destinadas a inacabar –

por alguma razão
os músicos param
soa algum tambor
o baixo folga um grave
a frase de sopro
antes veloz
paira frouxa no ar
e então a voz que pede
uma nova tomada

concedo o romantismo
concedo a idealização
mas nos falsos começos
o que nunca acabará –
ouve-se o tema inteiro
que já não toca
discos antigos
que alguém levou
erros convertidos
em inalcançáveis acertos
dois andares acima

Anúncios

Sobre pedrogonzaga

Músico, professor, tradutor e azarão da escrita. Ver todos os artigos de pedrogonzaga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: