soneto

tormentoso desejo agora vivo
só por vos ter tão perto, doce amiga
conturba-se-me ardente o sangue à briga
que com malícia ergueu amor esquivo

encontro e logo perco meu juízo
quis razão evitar minha desdita
mas se ao vos ver um não sei quê se agita
sois perdição e incêndio e paraíso

encarnação da dádiva primeira
semideia que um árabe cantava
em vós respira a flor da laranjeira

primavera que esconde a verde fava
aniquilai-me a paz, feroz cegueira
toda nudez que vossa mão guardava

Anúncios

Sobre pedrogonzaga

Músico, professor, tradutor e azarão da escrita. Ver todos os artigos de pedrogonzaga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: