Um passo

Ensaiavas um passo e eu te olhava da cama
a cabeça amparada pela guarda antiga,
nossos olhos espelhados a cada volta de teu corpo.
Era verão, e as cortinas
recolhidas como velas
deixavam entrar solenemente
um sopro crivado de jasmins.
Nunca mais seremos tão jovens
e no curto instante em que giravas
anoiteceu.
Quem diz que a memória é capaz de reviver as coisas
não entende nada.
Quem não se entrega à destruição física do momento
perde o que há de mais precioso na morte.
Giravas e giravas até o fim do dia e
aquela cama não mais se repetirá
ainda que dances
infinitamente para mim.

Anúncios

Sobre pedrogonzaga

Músico, professor, tradutor e azarão da escrita. Ver todos os artigos de pedrogonzaga

2 respostas para “Um passo

  • rosane pereira

    Pedro, que bom que estás cada vez mais poeta. Lendo teus poemas, dá aquele sentimento, em relação à qualidade estética de muita coisa produzida hoje em dia: ´nem tudo está perdido´.

    Beijão!
    Rosane

    • pedrogonzaga

      Rosane, querida. Obrigado pelo teu retorno. De tanto brincar de me dizer poeta, tenho me pegado caminhando nessa direção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: