O corvo

Um breve argumento para justificar a manhã inútil, sob a notória influência de Marco Denevi: Quem poderá dizer que Lenora, tendo vivido o suficiente, vitimada por uma decrepitude a um só tempo lamentável e ranzinza, não obrigaria, por fim, o homem do gabinete a espalhar um punhado de milho para atrair aquele corvo e seu esperançoso vaticínio?

Anúncios

Sobre pedrogonzaga

Músico, professor, tradutor e azarão da escrita. Ver todos os artigos de pedrogonzaga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: